IBM Cognos – Arquitetura Básica pt.1

Para quem não conhece os produtos Cognos ou está pesquisando para saber melhor como funciona toda esta suite, irei descrever de maneira simplificada como funciona o básico do ambiente Cognos.

Nesta primeira parte, irei explicar as ferramentas client-side, que são usadas somente no desenvolvimento e não são acessadas pelos usuários.

Para começo, um ambiente de BI exige um banco de dados. Os mais utilizados são Oracle e SQL Server, mas um grande número de outros bancos é suportado pelo Cognos. A modelagem das tabelas neste banco deve ser dimensional, um formato que oferece melhor desempenho a Data Warehouse e que é um pouco diferente da modelagem relacional, utilizada em sistemas transacionais como ERP, CRM, etc…

Definindo onde e como os dados serão armazenados, a próxima etapa é a carga de dados, também conhecida por ETL (Extract, Transform & Load).  Pode-se fazer isto de inúmeras maneiras, mas o ideal é que seja utilizada uma ferramenta voltada a este fim. A ferramenta de ETL do Cognos é o Data Manager.

No Data Manager são definidas as origens dos dados, comportamento de atualização, fluxo de carga, tratamentos, limpezas, consistencias, calculos, alem do destino final, que deve ser o Data Warehouse. É importante ressaltar que o Data Manager não armazena dados, ele somente mantém as definições do processo e executa estas definições. O aplicativo para este desenho é client, ou seja, precisa ser instalado em uma máquina com Windows. Porém o engine pode ser executado tanto em Windows quanto em Unix, sendo que este último tem uma performance melhor.

Para que estes dados sejam acessados pelo portal Cognos, é necessário publicar uma “definição lógica” no portal. Para isto, no Framework Manager são definidos os metadados relativos ao data warehouse, como os relacionamentos entre as tabelas, nomes de negócio (ao invés do nome fisico de um campo, uma descrição que o usuário entenda), comportamento de agregação (Soma, média, contagem, nenhum), agrupamentos, restrições de acesso e até mesmo transformações. Então é definido um pacote (package) , que contém quais elementos serão disponibilizados para os usuários utilizarem em relatórios e consultas.

A questão dos usuários do Cognos pode ser configurada de várias maneiras. O Cognos pode estar integrado ao Active Directory da sua empresa, a controlador de domínio LDAP, entre outras opções. Mas a Cognos também oferece um gerenciador de usuários, o também client-side Access Manager. Nesta ferramenta é possível cadastrar usuários, criar grupos, definir politicas de senha, etc… Estes grupos e usuários serão visiveis tanto no portal quanto no framework, para que seja possível aplicar restrição de acesso e/ou a dados.

Estas são as ferramentas principais, mas há outras que complementam ou automatizam algumas tarefas na manutenção do ambiente Cognos.

Na parte 2, irei abordar o lado servidor

See ya!!!

Anúncios

One Response to IBM Cognos – Arquitetura Básica pt.1

  1. Samuel says:

    Reblogged this on Samuel Matioli.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: