IBM Cognos 10

Vem aí a versão 10 do Cognos.

Se chamará Intelligence Unleashed.

O lançamento está marcado para dia 25 de outubro.

Neste dia ocorrerá uma apresentação oficial da nova no site da IBM.

Para se cadastrar entre em: http://www-01.ibm.com/software/analytics/cognos/unleashed/index.html?mc=-web_ibm_hp

 

Alterar estilos de todos os relatórios do portal

Ainda na questão estética que venho tratando ultimamente, podemos encontrar situações onde o cliente deseja alterar estilos de todos os relatórios do portal, algo que não é lá muito prazeroso para realizar. Imaginem-se entrando em todos os relatório e alterando a cor de fundo do cabeçalho dos lists, por exemplo… Chato, né…

Porém há um jeito mais interessante de fazer isto.

Leia mais deste post

Mudando o texto de mensagens do Cognos

Durante a customização do portal, pode ser necessário alterar o texto de determinadas partes do Cognos.

Para isto, devemos alterar os arquivos XML que contém os textos.

Leia mais deste post

Javascript para Exibir/Ocultar Objetos

Um pequeno exemplo de como utilizar Javascript para tornar os relatórios ReportStudio mais interessantes.

O exemplo cria uma área (tag DIV)  que será exibida quando o usuário clicar em um determinado link.

Leia mais deste post

Como você define uma tabela fato?

Perguntei ao deus Google o quê é uma fact table? … Ele respondeu:

Definições de fact table na web em inglês:

Tudo bem, são boas definições, é uma tabela central em um star-schema que contém métricas e chaves e etc… Mas é uma definição técnica.

Do ponto de vista do negócio, a conversa é um pouco diferente.

Há uma palavra chave quando se busca definir uma tabela fato, a palavra é “Processo”. E, mais do que o processo que existe no sistema transacional de origem dos dados, o processo de analise dos usuários, a maneira como eles tiram informação a partir dos dados.

(Um parêntese: um dado não diz nada, o que é relevante é a informação que este dado “gera”).

Desta maneira, o ideal é que uma tabela fato agrupe dados que, mesmo sendo de transações diferentes, forneçam informações relevantes sobre o processo/assunto ao usuário.

E você, como define uma tabela fato?

Metodologia no projeto do DW

Estive lendo novamente o livro do Ralph Kimball “Data Warehouse Toolkit” e achei uma coisa interessante para colocar aqui.

Tratam-se de nove pontos de atenção no projeto do banco de dados:

1 – Os processos e, portanto, a identidade das tabelas fato;

2 – A granularidade (nível de detalhe) de cada tabela de fatos;

3- As dimensões de cada tabela de fatos;

4- Os fatos, incluindo fatos précalculados;

5- Os atributos da dimensões com descrições completas e terminologia apropriada;

6- Como rastrear dimensões de modificação lenta;

7- Os agregados, dimensões heterogêneas, minidimensões, modos de consulta e outras decisões de armazenamento físico;

8- A amplitude de tempo de histórico do banco de dados;

9- Os intervalos em que os dados são extraídos e carregados no data warehouse.

Completa Kimball que o ideal é que estes pontos sejam avaliados sequencialmente.

Enfim, uma idéia de um caminho a seguir no planejamento do trabalho.

See ya!!!

Conhecendo o IBM Cognos Express – pt.1

Baixei a versão trial do IBM Cognos Express para entender melhor do que se trata.

Para quem não sabe, a versão Express seria voltada para pequenas e médias empresas, com menos ferramentas e um pouco mais prática.

Nesta primeira parte irei descrever a parte de instalação e primeiras impressões. Ainda não fui muito a fundo, mas já deu pra ter uma idéia.

Leia mais deste post

Comentários no Data Item no Report Studio

Dica rápida.

Simples, mas eu não sabia…

Para escrever comentários dentro da expressão do DataItem no Report Studio é só colocar entre #/**/#

Vi isto no ótimo blog Cognos and Me:  http://cognosandme.blogspot.com/

IBM Cognos – Arquitetura Básica pt.2

Na primeira parte do post sobre a arquitetura das ferramentas IBM Cognos, falei sobre os aplicativos client, que são utilizados somente no desenvolvimento e gerenciamento da aplicação.

Nesta segunda parte irei tratar do lado web da aplicação.

O programa de instalação irá copiar uma série de arquivos. Após isto, deve ser configurado um serviço web, normalmente o IIS, porem o Apache também é utilizado. A partir do endereço configurado neste neste servidor o cognos estará acessível.

Antes de utilizar o cognos, há algumas configurações a serem ajustadas no Cognos Configuration, tais como o banco de dados de conteúdo (não do data warehouse e sim de configuração do aplicativo) e o endereço do servidor (aquele que você configurou no IIS/Apache). Também há algumas configurações para otimizar o desempenho. Pelo próprio Configuration deve-se iniciar o serviço. Se estiver tudo correto, podemos abrir o Internet Explorer e acessar o Cognos  através do endereço configurado no IIS.

Ao acessar o Cognos, você entrará no Cognos Connection, que é o portal onde todos os relatórios, pastas, atalhos e etc. estão disponíveis. Através do Connection você poderá acessar todas as ferramentas web, que são: ReportStudio, QueryStudio, AnalysisStudio, EventStudio e o Viewer.

– ReportStudio: É a ferramenta de desenvolvimento de relatórios. Com muitos recursos e opções para agilizar a confecção dos relatórios. É possível criar listagens, cross-tabs, filtros obrigatórios e opcionais. O usuário final não acessa esta ferramenta.

– QueryStudio: É um ReportStudio simplificado. O objetivo é possibilitar aos usuários criar relatórios simples mais facilmente, através de uma interface com menos opções “profissionais”. É uma mão na roda para consultas rápidas ao Data Warehouse. Disponível para usuários que precisam fazer consultas “não padrão”.

– AnalysisStudio: Ferramenta para análise dimensional. Pode acessar cubos OLAP (como Cognos Transformer, Microsoft Analysis Services) ou modelos dimensionais acessando base de dados (modelagem dimensional no FrameworkManager).

– EventStudio: Um agente que dispara alertas quando determinadas situações ocorrem. No EventStudio você faz toda a configuração, a condição  que dispara o alerta, quando o evento será verificado, quem deve ser notificado, qual relatório deve ser gerado, etc…

– Viewer: É uma ferramenta “transparente” para a o usuário, pois é nela que são exibidos os relatórios.

Há também o módulo de administração, onde você irá configurar os dispatchers, conexões de bancos de dados, monitoramento do serviços, permissões de acesso e etc…

Basicamente é isto…

Dúvidas? Utilizem os comentários…

IBM Cognos Data Manager – End of life

Pois é…

Conforme palpitei em um post anterior sobre o futuro do Data Manager, mais (e más) informações vão aparecendo.

Ao que parece, a IBM teria decidido descontinuar o Data Manager, mantendo o Data Stage como única ferramenta de ETL. A estratégia seria conceder um desconto aos clientes atuais para que estes migrem para o Data Stage.

A confirmar…